Do Cinema

Com certeza, o problema é comigo.
Mas eu acho impossível ver/ler alguém falar de cinema sem parecer pedante/blasé.
Eu não sei o porquê disso, mas sempre que eu vejo alguém falando de cinema. comentando um filme, parece esnobe. Fica um papo de “direção genial” pra lá, “o melhor trabalho de fulano de tal” pra cá, “atuação majestosa” prum lado, “figurino fantástico” pro outro…

Pra mim, um declarado ignorante nessas coisas, o filme é legal ou não. Quem foi o diretor, o fotógrafo, o diretor de arte, o coreógrafo, não importa e convenhamos, faz tanta diferença assim?

Eu vejo as pessoas idolatrarem o Pedro Almodovar. Eu vi uns 30 segundos de filme dele e achei uma merda, brega. clichê.

Hummer

O Hummer é o carro dos meus sonhos. O Hummer H2, porque o H3 é pra mocinhas!

Pelo que eu pude ver na internet, os americanos têm horror ao Hummer por causa do seu altíssimo consumo de gasolina e tamanho. Existe até um site onde a galera posta fotos dando cotocos pro Hummer, é o Fuck H2. Ele é conhecido como gas guzzler, beberrão de gasolina. E, de fato, isso é uma coisa que não se pode negar. A criança faz 12 milhas por galão, ou seja, cerca de 5 km por litro!! Isso mesmo, 5 km por litro de gasolina. Eu, que moro do lado da UFAM, gastaria dois litros de gasolina só pra ir e voltar pra casa. Isso se eu não fosse pro ICHL, aí já seriam quatro litros só pra ir e voltar pra UFAM. Ou seja, 10 reais por dia somente de gasolina. Obs: eu não sei se esse consumo é com ou sem ar condicionado.

Pois é, fui pesquisar umas fotos do Hummer no flickr e achei essa pérola. É um diálogo no posto de gasolina entre o dono de Prius (carro híbrido da Toyota) e um Hummer. A conversa se divide entre os galões que cada um vai colocando.
O prêmio vai pra essa frase aqui:
“Happy trails, granola boy. Try to stay out of the tread in my tires with that windup toy of yours.”

Granola boy é excelente!!

O texto acaba quando o dono do Hummer chega em 40 galões. Epa, peraí…40 galões são quase 150 litros… Caralho!!! O Hummer tem uma tanque de 150 litros! Não é possível!!

Quase. Dei uma googlada e tá lá no site da GM
“Fuel capacity, approximate gallon 32”
Ou seja, 118 litros! Aqui em Manaus, gasta-se, por baixo, 300 REAIS pra encher o tanque dessa belezura!! E dependendo da pessoa, esse tanque dura umas duas semanas, se muito. Some aí mais quatro pneus, IPVA e seguro…

Mas há controvérsias, neste test drive do Hummer H2, o consumo é estimado em 4 km por litro!! Sem contar que a GM não diz qual é o consumo do carro, é “not applicable”.

Picanha com alho nunca mais!!

Rapaz…li por aí que o alho dá sensação de saciedade.
Ou seja, aquela picanha com alho e manteiga nada mais é do um truque!
Um truque pra fazer você parar de comer!
From now on, picanha com alho nunca mais!!

Cultura inútil

A quantidade de cultura inútil que se encontra na internet é impressionante.

Hoje, lendo esses dois excelentes posts sobre whisky no Papo de Homem aprendi algumas coisas legais sobre whisky.

Por exemplo, só pode se chamar de whisky as bebidas produzidas na região de Highlands, na Escócia. Estes também são conhecidos como scotch. Scotch, escócia…entendeu?

O whisky que é fabricado fora da escócia leva o nome de whiskEy.

Ok, informação inútil. Ou nem tanto, às vezes serve pra dar uma esnobada em alguém e fazer essa pessoa pensar que vc manja dessas coisas…hehe

Outra coisa, um scotch pra ser scotch deve ser envelhecido por no mínimo 8 anos.

Existe dois tipos de whiskey: o blend e o puro malte. O blend é uma mistura de cereais e sei lá o quê. O puro malte é “Um Whisky pode ser feito 100% com cereais maltados, provenientes de uma única destilação e, por isso mesmo, pode apresentar sabores diversos de acordo com cada processo. Esse tipo de Scotch é chamado de Puro Malte. Os “Puro Malte” podem ser engarrafados como “Single Malt” no qual apenas uma destilação é utilizada ou como “Vated” no qual várias destilações “single malt” são misturadas para se conseguir o profuto final. Entre os apreciadores é comum afirmar que o “single malt” é um músico solista se apresentando, enquanto o “vated” é toda a orquestra tocando junta.”

O whisky de maior sucesso da história de todos os tempos da última semana é o Johnnie Walker Black Label 12-year Old. Mas, John Walker, não satisfeito, resolveu que ia fazer o blend mais foda da galáxia. Chamou os seus (os dele) filhos e fez ‘na munheca’ “o blend que reúne maltes selecionadíssimos maturados somente em uma breve época do ano e o envelheceu por 21 anos. Estava criado o Blue Label 21-year Old que, nas palavras de John Walker era “o blend criado para nunca ser batido”.”.

Mas a melhor frase dos posts é a seguinte: “Considerando que um blender especialista cuja formação de toda uma vida o tornou capacitado para preparar essa ilustre iguaria por 12, 15, 18, 21 anos ou mais, você não acha que seria uma pouco de desrespeito da sua parte misturar guaraná, soda ou energético com seu Whisky?” 😛

Uma vez eu vi um Ballantines Aged 30 years!! Isso mesmo! 30 anos! ou seja, eu não estava nem no projeto e o bicho já tava lá envelhecendo. 800 e poucos reais a brincadeira!

Nessas paradas de degustação, tem algumas coisas que eu acho engraçadas. A forma como o pessoal se refere a bebida. Quando é vinho são ‘os taninos’ pra lá ‘uma cepa complexa e cheia de personalidade’ pra cá. Nesses posts do whisky tem umas passagens que eu acho curiosas: “reúne um aroma suave com um paladar intenso, porém não tanto encorpado.”. Haja paladar!!

Eu odeio a vanessa da mata

Eu nutro um ódio profundo da Vanessa da Mata. Quem, em sã consciência, consegue aguentar aquela mulher?

Eu conheço duas músicas dela, a insuportável ‘ai ai ai ai ai ai’ e insuportabilíssima ‘tchu ru ru ru ru ru’ (toca no rádio uma hora sim, outra também).

Mas não é só a música insuportável dela que faz o meu coração corroer de ódio, é a figura dela. Aquele jeito dela de ‘sou uma diva’ e seu penteado pupunheira me tiram do sério. Semana passada tava passando o making of do estúdio coca-cola dela e do charlie brown jr (!) e eu só confirmei como ela é chata. O suplício estava escrito em sua (na sua, não, na dela) testa e ela fazia de tudo pra mostrar que tava curtindo, mas não dava, ela não conseguia deixar de ser chata.

Post sem fim…

Trilhas

Aqui da minha visão – sedentária e preguiçosa -, fazer trilha é uma coisa muito bocó.
Trilhar ou andar no mato, whatever…

Veja só, você anda, anda, anda no meio do mato, quente pra caceta, se arranha, se suja, pisa na lama e etc. Aí depois quando vc está longe o suficiente, decide voltar. Aí enfrenta tudo de novo na volta. E chega cansado, arranhado, sujo, suado…

Se tiver uma cachoeira ou um rodízio de carne no final da trilha, eu até abro uma exceção. Mas normalmente não tem, embora a primeira opção seja até comum.

%d blogueiros gostam disto: