Marrakech por Marrakech

Bom, posto que eu já narrei como foi a chegada e o caminho de ida pra Marrakech, neste post foi falar da minha impressão de Marrakech.

Cheguei em Marrakech às 5 da manhã do sábado, completamente virado – fazia mais de 24 horas que eu não dormia decentemente – e quando eu cheguei no quarto, eu simplesmente não conseguia dormir. Dormi até às 9 da manhã porque o café no albergue ia até às 10 e depois fui dar uma volta.

Peguei um mapa, o cara do albergue me deu algumas coordenadas e quando eu saio, tinha um moleque lá fora, ele percebeu que eu não sabia o caminho até a praça Djemaa el Fna e foi me levando até a praça. Mesmo diante das minhas reiteradas recusas, quando chegamos até a praça, ele me pediu dinheiro. Não dei afinal ele me levou até lá porque ele quis, eu realmente não tinha pedido, no entanto, confesso que, se não fosse por ele, eu teria pegado o caminho errado. Enfim, não dei dinheiro e fui me embora.

Saí andando sem rumo, dei uma volta pela praça, pela mesquita La Koutubia, pelo jardim em volta da mesquita e pelas redondezas.

É tudo muito diferente e o choque cultural é imenso. Ver mulheres andando cobertas dos pés a cabeça, homens de mãos dadas andando serelepemente, homens cumprimentando-se com beijinhos no rosto. Mas ao mesmo tempo que é chocante, o bom senso recomenda que a gente faça uma cara blasé como se tudo isso nos fosse muito normal.

Outra coisa chocante é a arquitetura. Marrakech é conhecida como a cidade vermelha. Lá, todos os prédios tem mais ou menos a cor magenta (uma cor de barro mais escuro). E todos os prédios são dessa cor. Até o McDonalds! Sim, tem McDonalds lá!

Marrakech é dividida em duas: a parte nova e a parte velha. A parte velha é a medina e é toda circundada por muros. A parte nova eu não me lembro como se chama, mas salvo engano, é Guéliz A medina são aqueles corredorezinhos que a gente viu na novela, uns labirintos onde é impossível não se perder. A parte nova é mais urbanizada, prédios não muito altos porém chiques, hotéis chiquérrimos, casarões, carrões e etc.

Na medina, a impressão de que o tempo parou só não é confirmada pelas antenas parabólicas que quase toda casa possui. Vê-se aquelas casinhas velhas e a anteninha lá em cima. Ao mesmo tempo que Fiat C147 se cruzam com os Mercedes novos e com os SUVs.

A maior atração de Marrakech é a praça Djemaa el Fna. É aquela praça onde tem de tudo de todo jeito. De dia é até organizada, mas de noite é um pandemônio. E de noite tem as bancas de comidas típicas e a pessoa é disputada a tapa pelos milhares vendedores de qualquer coisa. Bom, na praça tem o tradicionalíssimo e delicioso suco de laranja que custa 3 dirhans (0,30 de euro), cds de música árabe, velhinhas que fazem tatuagem de henna, encantadores de serpente, grupos “musicais”, vendedores de tempero e outras coisas inimagináveis. Á noite tem todo tipo de comida típica e batata frita. Não vi se tinha insetos mas eu acho que não.

A higiene é uma coisa que passa longe do Marrocos. Na banquinha de suco de laranja só tem uma pessoa, portanto ele faz o suco e recebe dinheiro quase que simultaneamente. O copo é “lavado” em um balde de água que deve ser trocada uma vez por dia, se muito. O pão é trazido pelas mesmas mãos desnudas do “garçom” que cumprimenta as pessoas e pega o pagamento. A cena mais bizarra que eu vi foi o cara servindo a porção de batata frita com a mão. Meteu a mão na bacia e serviu a porção.

Das comidas típicas do Marrocos que eu comi e que, na minha opinião, valem a pena ser comidas é o tagine. O tagine é uma espécie de guisado que pode ser de frango, carne e outros bichos, acompanha legumes e é servido numa panelinha de barro. Com um pãozinho marroquino é uma delícia! O couscuz marroquino não é nada demais. É igual o cuscuz daqui, só que a “milharina” de lá é um pouquinho diferente, é menos seca.

O suco de laranja merece um capítulo a parte. Eu desconfio que no Marrocos existe um sistema público de suco de laranja. Tem em todo canto, é muito barato e é sensacional. Totalmente natural e gelado!

O trânsito é insano. São carros, carroças, bicicletas, motos tudo ao mesmo tempo agora. As motos e as bicicletas disputam lugar com os pedestres e é normal ter que se desviar pra não ser atropelado. De vez em quando um motoqueiro ou ciclista se engata em alguém por lá e se inicia uma pequena discussão em árabe que é bastante inusitada.

A coisa que eu mais gostei em Marrakech, sem dúvida, foi a segurança. Não se vê policiais em abundância nas ruas, mas eles não roubam e nem ameaçam as pessoas simplesmente porque é contra a lei! Segundo eu li na internet, a pena pra quem for pego roubando é cortar a mão. Portanto, não se preocupe em andar com a sua câmera, com dinheiro, com jóias e etc. É super seguro. Por várias vezes eu me perdi e andei por alguns lugares bem sinistros – eu não via nenhum outro turista – mas não senti medo nenhum.

Mas uma coisa muito chata é pedir informação. Eles não dão informação, eles levam você até o lugar onde você quer ir. E no final, claro, eles te cobram dinheiro. Apesar de você não ser obrigado a dar, o bom senso recomenda que sim.

Uma dica importante: nunca compre nada pelo preço que o vendendor diz de primeira. Esse preço é muito acima do preço “real” – o preço real, aliás, nunca saberemos –, se o cara diz que uma coisa custa 50 dirahns, pode ter certeza que você leva 40 ou 35, ou até 30 dependendo da quantidade que você comprar.

A temperatura é horrível até pra quem está acostumado com o calor de Manaus. Eu não sei dizer se é pior do que Manaus, é apenas diferente. Mas é muito calor… Eu bebia 4,5lts de água por dia. Teve um dia que eu bebi 5,75lts de água!! Pelo menos a água é baratinha, no entanto, tem um gosto meio esquisito. Apesar de a garrafa dizer que a água é mineral, eu tenho a impressão de que ela é desalinizada.

Basicamente é isso. Marrakech é um lugar onde se deve relaxar com algumas coisas (a higiene, por exemplo) e curtir. É onde o muito velho se cruza com os lançamentos; onde o Fiat C147 e uma carroça andam do lado de uma Cherokee 0km.

to be continued

Anúncios

Sobre Arlen Nascimento
26 anos, Manaus.

One Response to Marrakech por Marrakech

  1. lhtrsiut says:

    A internet não é lixo!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: