Amazonino, nosso prefeito

E aí que o Amazonino foi livrado pelos velhinhos caquéticos do TRE. O resultado já era esperado (e sabido), mas ainda havia esperança, essa coisa besta que move mundo.

Apesar do resultado negativo, só o fato de um político como Amazonino passar um sufoco desses de poder perder o mandato (que audácia!), já mostra que as coisas estão mudando, bem lentamente, mas ainda assim.

Os políticos são um retrato da sociedade e, estranho seria se houvessem somente políticos honestos. Como poderíamos querer políticos honestos se o sonho de 97,65% da população é um carguinho fantasma onde só precisa dar o ar da graça uma vez por semana pra assinar o ponto? Não dá!

Como querer políticos honestos se todo mundo está sempre pensando numa maneira de se dar bem em cima do outro?

Pode parecer besteira mas não é, de furar fila graciosamente até estacionar na vaga pra deficiente, tudo isso diz exatamente quem nós somos. E os nossos representantes vem daí.

É comum culpar a zona leste pela eleição dessas figuras. Eu, particularmente, acho isso extremamente preconceituoso, além de ser mentira. ‘Esse povo da zona leste é foda! fica votando nesses caras! Aff!’. É verdade que a zona leste é o mais importante (em densidade, pelo menos) colégio eleitoral de Manaus, mas nem todo mundo que mora lá tem o pensamento, digamos, zona leste. E a recíproca é verdadeira, várias pessoas que moram nos mais requintados condomínios tem o pior do ‘pensamento zona leste’. É aquela velha história, você tira a pessoa da zona leste, mas não tira a zona leste da pessoa.

Diante disso, não podemos afirmar que é só pobre e, teoricamente, burro que não sabe votar. O, supostamente, esclarecido também não sabe. Ou pelo menos finge que não, o que acaba dando na mesma. Mas pelo menos é divertido ver os esclarecidos justificando o voto em Amazonino.

Outra coisa curiosa é gente que diz ‘Manaus, merece! Esse povo tem que ser dar mal, mesmo’. Parece até que a pessoa não vai sofrer também, às vezes em bem menos intensidade, mas não deixa de sofrer. É óbvio que quando eu vejo algum eleitor do Amazonino reclamando do ônibus, da falta d’água, da falta de energia, eu sempre aproveito pra dar aquela liçãozinha de moral. hehe

Até as crianças que nasceram ontem no chão da Balbina Mestrinho já sabem um punhado de histórias cabeludas do Amazonino. Mansão no Tarumã com aquário de piracuru no chão da sala, suas preferências… nunca saberemos o quanto disso é lenda. Amazonino, sem dúvida, já está no panteão das lendas amazônicas junto com o boto-boto, o boto-Gilberto, a cobra grande, a curupira e etc.

Talvez, a não-cassação tenha sido o melhor pro Amazonino e pra nós. Acompanhe. Caso tivesse sido cassado, em breve ele voltaria (ele sempre volta!) como mártir, aquele que foi cassado porque queria fazer a maior administração que essa cidade já viu mas não deixaram. A parte boa disso é que Amazonino que vai chegar ao fim do mandato desacreditado, cansado (mais ainda!), e aí, mermão, tchau negão! A parte ruim é aguentar a cidade por mais 3 anos do jeito que tá. E é daqui pra pior.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: