Um dia de turista em Manaus

Hoje, dois amigos (um deles acompanhado da namorada portuguesa), que não moram mais em Manaus, estavam aqui e reunimos o pessoal pra dar uma volta pelo Largo de São Sebastião e redondezas, almoçar e passear.

Fomos até o Teatro Amazonas que se encontrava fechado para visitação até às 13 horas por conta dos ensaios do conserto de natal.

Fomos andando até a Emporiolândia – mas sempre atentos pra não atrapalhar nenhum motociclista que trafegava pela calçada – pra comprar pó de guaraná, cujo quilo custa 30 e poucos reais! Será que ‘fazer’ pó de guaraná é tão dispendioso assim pra cobrarem mais de trinta reais por um produto que é ‘feito’ aqui mesmo no Amazonas. Ou seja, é mais barato comprar bacalhau – que vem da Europa – do que pó de guaraná – que vem do interior do Amazonas.

Na volta, dobramos na Ramos Ferreira pra ir num museu (acho que era o Museu Amazônico). O portão estava encostado e fomos abrindo, no que de imediato, o guarda desponta rumo ao portão e diz, com aquela simpatia do seu Lunga, que ‘claro que o museu tá fechado!’. Claro, quem diabos vai a museus aos sábados? povo estranho esse… Além disso, Casa da Música e Casa Ivete Ibiapina fechadas com correntes!

De volta ao Largo, entramos numa loja de artesanato ali do lado. Já esperava que os preços das coisas fossem altos, mas não eram tão altos assim, tirando algumas coisas. Mas me assustei com o preço de uma garrafinha de licor de 30, 40 mL ser R$ 17! E o pacotinho de 50 GRAMAS de pó de guaraná custava 8 ou 12 reais (não lembro bem). E um frasco com cápsulas de pó guaraná que custava 18 reais. Em seguida, fomos a outra loja de artesanato, cujo donos são japoneses! Mas, pra ser justo, tenho que dizer que o atendimento em ambas as lojas foi bem simpático, o que não é comum por aqui.

Depois, fomos até o Rancho Bufalo pra almoçar. Aquele engarrafamento amigo ali no retorno do Vivaldão. Aliás, notei que o IMTU arregou a já abriu o retorno em frente aquela padaria.

O Rancho Bufalo tava parecendo o RU (dia de quinta, do lado que tão servindo peixe): uma fila absurda. Havia 15 senhas na nossa frente. Esse movimento é a prova de que em Manaus, qualquer coisa minimamente razoável faz um sucesso absurdo.

Desistimos e fomos até o Panela Cheia, que é uma casa que virou restaurante. E assim que vi o cardápio, me lembrei porque eu não vou em peixarias: é caro demais! A costela de tambaqui começa em 100 reais. Uma matrinxã assada custa 50 contos! Mas apesar disso e do calor, foi um almoço bem agradável e saboroso.

Depois do almoço, uma breve discussão acerca do próximo destino e adivinha no que deu? O único lugar pra onde amazonense sabe ir: shopping!
Fomos pra cachaçaria enfrentar aquele atendimento péssimo e os 10% do garçom infalíveis.

Depois, já a noite, voltamos pro largo pra ver como tava a iluminação.

Às vezes, eu me pergunto o que diabos esses europeus vem fazer aqui? Sem uma pessoa local, o turista não consegue fazer quase nada. Vai morrer na mão dos espertinhos e em fortunas de taxi. No Largo, que talvez seja o local mais turístico da cidade, não há placas informativas, não há posto de informações (não vi e se tem, tá mal identificado), não tem nada!

Essa é uma das sedes da Copa de 2014!
Parabéns aos envolvidos.

Anúncios

Sobre Arlen Nascimento
26 anos, Manaus.

10 Responses to Um dia de turista em Manaus

  1. Carolina Coelho says:

    Meus sogros (MG) estavam em Manaus há 2 semanas. E infelizmente tudo que vc falou é fato. Minha sogra queria levar castanha do Pará pra Belo Horizonte, mas quando viu o preço desistiu. No mercado central de BH é mais barato que aqui!! Meu pai tem um restaurante (peixaria) em Boa Vista. Os fornecedores de Tambaqui e Pirarucu são daqui de Manaus. E os pratos no cardápio do restaurante são muito mais (muito mesmo!) baratos que os daqui. O problema de nossa linda cidade, são as pessoas: Elas se julgam espertas demais. Demais, que fica feio! Elas querem tirar vantagem em tudo. E só conseguem uma coisa: Se queimar com o turista.

  2. Vaidáoteucú says:

    Se vc não é de Manaus, recomendo fazer turismo na Europa (mais adequada ao seu requinte). Li o seu outro post “Manaus o seu ciúme” e acho que vc é um veadinho que veio de algum lugar de merda e se acha alguma bosta.
    CAI FORA MALANDRO. Aqui ninguem precisa de pessoas como vc.
    Volte pra Suíça. Pelo seu prefil vê-se que vc é um fanfarrão. Um imprestável.
    Escreva algo de positivo. Sobre qualquer assunto. Ou vc é um frustado na vida que só vê o lado ruim das coisas.
    Sai do armário e assume o que tú és.
    Não precisa publicar esta mensagem. Só quero vc leia.
    BABACA

  3. Apolinario Maparajuba says:

    Vaidaoteucu, teu nome já mostra quem és!
    Cheio de sabedoria e cultura!
    Já fostes p/ Suiça ou Europa para saber como é lá? Tem coisas ruins também. E as pessoas que têm olhos abertos para observar e criticar são benvindas, lá como em toda sociedade democrática, porque só fazem ajudar!
    No dia que entender isto, Vaidateucu, terás feito um passinho para frente.
    Agora, se tu gostares de Manaus do jeito que é; tu não tem jeito mesmo: então aprecia e mantenha as coisas assim: joga teu lixo pela janela do carro, rouba sempre que puderes, tenta levar vantagem em tudo, estaciona teu carro no lugar de deficiente, buzina e acelera na faixa de pedestres, seja político (se já não é) etc…

  4. Laryssa Pinheiro says:

    Eu gosto de Manaus do jeito que é, algum problema? meu querido, assim como colocastes, toda cidade tem problemas e qualidades, mas porque exaltar somente os problemas? Manaus é uma cidade onde as pessoas te tratam muito bem sim, não é pelo fato de que você se esbarrou com um ou outro que estava num dia ruim que tu pode julgá-la desta maneira.
    Você fala como os produtos provenientes do interior do amazonas fossem nada, se você acha tão ruim assim, porque os comprou? é claro que se você for nos lugares mais caros, vai encontrar produtos mais caros, isso é lógica meu bem, e ainda vem falar do pó de guaraná que é uma pechincha, e por sua vez, a castanha do pará também.
    O único lugar que amazonenses frequentam é o shopping? Faz-me rir. Se você não conhece a cidade e não sabe o que ela oferece, fique caladinho, não faça comentários bobos que denigrem a sua imagem na frente de muita gente. Ponha-se no seu lugar, e observe que se você fosse tudo isso que pensa, o que chamas de blog seria bem mais requisitado, e frequentado, possuiria muito mais que uns tr_ês comentários pingados em uma critica que me enojou.
    Você quer falar de europa, de outros países? Pode falar, calada é que não vou ficar, pois assim como você se autocarecteriza, também sou uma pessoa viajada, e não vou deixar qualquer um vir com a pompa toda querendo falar mal de minha cidade natal, meu bem querer, meu amor eterno.
    Continue sendo do jeito que és, continue pagando de falsomoralista, que você vai muito longe, ou não né? x*x

  5. Steven Conte says:

    O Arlen tá certo. Só digo isso.

  6. Bom, como eu bem disse: O problema de Manaus não é a cidade em si. São os cidadãos dela… Coisa linda de se ver… NOT

  7. flávia batista says:

    O problema de Manaus não é nem um, nem outro… mas sim o maldito bairrismo de quem mora aqui. Mas não dá pra culpar ninguém não, isso é fruto da síndrome de “vira-lata” que nós do Norte sofremos todos esses anos em detrimento de outras culturas, principalmente as do sul, e fez com que não suportássemos críticas em relação à cultura regional. E essa relação é tão forte em Manaus que faz com que as pessoas fiquem cegas, burras, defendendo o indefensável, se conformando com os problemas da cidade com o argumento de que “se não gostem daqui vão pra outro lugar” ou “vaidácu”. Simplesmente ridículo. Mas só séculos de terapia pra curar séculos de traumas. Um caso pra Freud explicar…

  8. Felipe Pessoa says:

    É isso mesmo..Muitos amazonenses não gostam daqui. É direito deles..Muitas vão ao Pará, e acham que Manaus não presta. Tudo bem…As pessoas incomodadas que se retirem, nào é assim que diz o ditado??Que pena que encontramos pessoas da região amazonica sem noção nenhuma e sem equilíbrio algum em suas idéias. Sou amazonense e sei que muita coisa precisa melhorar, mas isso nào me dá o direito de rotular uma cidade toda.

  9. Abigobaldo says:

    Sou de minas, vou para manaus mes que vem 30/04/2011. Voces deveriam expor os fatores positivos e negativos de sua terra natal de modo formal, sem este subjetivismo imbecil. Gostaria muito de encontrar comentarios que dessem uma visão panoramica do que um turista ira encontrar pela frente. Ex:

    Uberlândia-MG é uma cidade bonita e agitada, porém perigosa para quem anda no centro sozinho à noite. Tem o parque do sabiá, muito frequentado aos domigos e o parque siqueroli que nem mesmo os uberlandenses conhecem direito. Se estiver sozinho dê preferencia ao mototaxi. Um dia é mais do que suficiente para conhecer a cidade, que tem hotéis bons e baratos. Infelizmente o Shopping é o cartão postal da cidade, infelizmente pois o municipio nao valoriza as inumeras cachoeiras que possui na região.

    Viu como é simples,e olha que Uberlândia-MG nem é cidadde turística.

  10. Abigobaldo, não sei se vc percebeu mas o blog inteiro é escrito em primeira pessoa, que sou eu mesmo.

    Turismo (no ponto de vista do turista) é subjetivo, cada pessoa vai ter uma opinião diferente sobre algum lugar.

    (não to logado, mas sou eu mesmo. Abs)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: