Fotos

Vai que você quer ver as fotos que eu tiro no celular…

É só olhar aqui http://share.ovi.com/album/arlen.nascimento.portugal

The final frontier – o novo cd do Iron Maiden

Tô ouvindo o novo cd do iron maiden.

Tô na primeira música e por enquanto parece que a influência principal pra essa música foi o Restart. E eu falo sério… Mas, aguardemos.

In a non related subject (sempre quis dizer isso!), take a look at this: http://twitpic.com/2i3jh1

Voltando. A segunda faixa tem cara de Iron Maiden, heavy metal bom de ouvir, porém um pouco cansativo, um negócio meio suingado… (ou swingado, sei lá). Mas mesmo assim, bem fraco. O solinho do final dessa música parece muito com a introdução de Wasted Years.

Aliás, enquanto tô escrevendo isso aqui, me veio um pensamento recorrente: por que diabos jornalista escreve tão mal? Como pessoas que vivem da escrita (em alguma instância) podem escrever de forma tão precária? Mas continuemos com a programação normal.

Terceira faixa: zzZzZZzzzzzZZzzZZzZzZ…

Quarta faixa: iguais a segunda e a terceira, mas um pouquinho pior. Mas se salva por ter uns momentos apoteóticos. Esses momentos só acontecem no refrão, e infelizmente não salvam a música.

A quinta faixa é rapidinha, aquele estilo patenteado pelo Iron. Por enquanto, tá boa.

Sexta faixa: parece uma música do Legião Urbana, mas com guitarras mais intensas.

Sétima faixa: boa. Mas podia ser mais curta. Acabou tendo o seu impacto muito diluído.

Oitava faixa: boa. É o Iron Maiden moleque, o Iron Maiden de raiz que a gente gosta.

A nona faixa já começou mal. Só digo isso. A segunda parte da introdução dá uma melhorada, mas é meio cansativa.

A décima faixa começa bem. Muito boa. Tem um clima épico.

Ufa, terminou! Ainda bem…

Um tributo a Legião Urbana

Legião Urbana é uma das minhas bandas favoritas desde sempre. Comecei a ouvir e me interessar por música com Legião.

O primeiro cd que eu tive foi o dos Mamonas Assassinas. O segundo – ou terceiro, sei lá – foi o Música para acampamentos, do Legião.

Lembro até hoje que ele foi comprado num sábado de manhã, no centro, numa loja que tem ali na 7 de setembro, perto da Eduardo Ribeiro. O cd foi comprado logo após eu ter ganhado meu discman Sony, que aliás, tenho ate hoje. E que aliás, deve funcionar ate hoje, já que o problema mesmo foi no adaptador. E também lembro que o cd custava 35 reais. Em 1996, isso era uma fortuna! E como a embalagem estava com defeito, conseguimos um desconto de 3 reais.

Also, ter um discman em 1996 dava um status inacreditável… hehe

Naquela época, já gostava de Legião mas conhecia muito pouco, só os hits mesmo. Confesso que estranhei aquele cd, que apesar de duplo, não trazia Será. Demorei um tempo pra entender aquele disco, que traz músicas mais “lado b” e que só muitos anos depois se tornaram realmente conhecidas.

Comecei a gostar mais do disco 1. Escutava quase todo. No disco 2, só escutava Pais e Filhos e Faroeste Caboclo.

Mas com o passar do tempo, comecei a digerir as outras músicas e a compreender a genialidade das diversas músicas incidentais que atravessam o disco, como em Soldados e A Montanha Mágica (absurdamente genial!), a letra fortíssima e a melodia doce e infantil de Canção ao Senhor da Guerra, Stand by me em Pais e Filhos, as músicas do acústico distribuídas pelo disco e etc.

Imagine aí que durante muitos anos, o único registro do Acústico foram apenas aquelas músicas no Acampamentos.

Também lembro que fiquei revoltado pelo encarte não conter quase nada. Não havia letras, apenas a ficha técnica das músicas e uma espécie de cartão com um desenho de uma fogueira e pessoas em volta dela.

Enfim, esse disco marcou muito a minha vida. Tenho ele até hoje, apesar de estar estragado há muito tempo. Por pura meninice, deixava os meus cds no sol! E aí as partes gravadas começaram a sair…

Uma vez eu emprestei esse cd pra uma amiguinha colorida que eu tinha 😀 e ela me devolveu com a capa e o cartão que vinha dentro todo riscado! A biatch falou que isso aconteceu porque ela falava ao telefone e tava com o meu cd na mão e daí começou a riscá-lo e nem percebeu… Legal…

E como foi por essa época que eu comecei a tocar violão, então a relaçao de amor com esse disco (e com o Legião) se intensificou. Não consigo de jeito nenhum chamar A Legião. Pra mim é o Legião. Ponto.

Depois fui ouvindo os outros discos. E fui entendendo melhor do que se tratava o Acampamentos.

O primeiro disco é muito cru. Mas se for parar pra pensar, que é o primeiro disco de uma banda e foi feito lá pelos anos 80, é perdoável. Aliás, a influência dos anos 80 pode ser vista pelos sintetizadores.

O Dois é um disco fantástico. Daniel na cova dos leões, que fala sobre cocaína? ou sobre homossexualismo (aquele gosto amargo do teu corpo ficou na minha boca por mais tempo…)? A lindíssima Quase sem querer, Eduardo e Mônica, Tempo Perdido, Metrópole (que veja só, continua atualíssima…). Andrea Doria, que tem todo um clima enigmático… Índios, que prefiro a versão acústica pela beleza e também porque eu sei tocar :D.

O Que País é este é muito bom. Apesar de ter só 9 músicas. Traz um encarte legal, com várias informações sobre as músicas. E tem uma música sem pé nem cabeça mas que eu adoro, Depois do Começo.

O quatro estações é um hit atrás do outro. Impressionante! Gosto muito de Feedback Song For A Dying Friend e Eu era um lobisomem juvenil, que é de uma profundidade e poesia indizíveis.

Aliás, uma tendência que eu tenho é de gostar das músicas menos conhecidas. E esse é um método que eu uso pra identificar os verdadeiros fãs de Legião. Pais e Filhos todo mundo conhece, mas só os verdadeiros fãs conhecem Clarisse, La Maison Dieu, A fonte, Aloha, Música de trabalho, A montanha mágica e tantas outras mais low profile mas muito boas!

O V é um disco que apesar de não conhecer bem, gosto muito. Foi o último disco que eu ouvi. Vim conhecê-lo já na época da internet. Possui músicas excelentes, Love Song seguida de Metal contra as nuvens é sensacional. Aliás, o que é metal contra as nuvens, hein? Pqp! Além de A montanha mágica e Sereníssima, que tem uma melodia tao contagiante quanto Quase sem querer.

Na época em que saiu o acústico, tocar todas as músicas com perfeição se tornou uma das obsessões. É claro que eu nunca consegui isso.

O descobrimento do brasil é um disco muito bonito. Consigo ouvir inteiro, sem pular um música. Há canções fortes como A fonte, Do espirito e La nuova gionvetú e sombrias e melancólicas como Só por hoje e Um dia perfeito.

Lembro que ganhei A tempestade um dia ou dois depois da morte do Renato Russo e também lembro que eu morria de medo de escutar esse cd a noite… hehe Também demorei pra digerir esse cd, repleto de músicas esquisitas. Há músicas que eu não consigo gostar ate hoje. Tirando Longe do meu lado, gosto de todas.

Uma outra estação é um cd de que eu gosto muito também. Acho Riding Song, aquela em que os integrantes se apresentam, sensacional, além de ter uma pegada muito violenta. Gosto do clima soturno de La Maisou Dieu e Clarisse. Acho Dado viciado uma trollada genial, gosto de Antes das seis, é brega mas eu gosto… hehe, gosto muito de Mariane e do clima de Travessia do Eixão.

O acústico é uma obra prima. Junto com o acústico do Nirvana e outros poucos, representa o que realmente é o acústico, violões e clima intimista. Traz versões curiosas como Hoje a noite não tem luar e me apresentaram músicas lindíssimas como The last time i saw richard (vá procurar a versão original de Joni Mitchell, é fantástica!) e a versão épica de Índios.

E ainda tem o Como se diz eu te amo, que traz um registro ao vivo muito legal do que foi o Legião Urbana.

Coisas irritantes no firefox

O firefox é o melhor browser do mercado. O Opera faz bonito em algumas coisas, mas eu não consigo me acostumar, eu tento usar, mas não dá. O Chrome e o Internet Explorer tem a mesma (e única) utilidade: baixar o firefox.

No entanto, a versão do firefox pro windows tem algumas coisinhas irritantes.

– Janelinha avisando que o download terminou:

Oi, seu download terminou

Essa janelinha me irrita de verdade. Não consigo explicar, mas é um saco ver esse negócio pulando no cantinho.

Pra desabilitar é simples. Na barra de endereços, basta digitar about:config e buscar por browser.download.manager.showAlertOnComplete ou por qualquer pedaço dessa string e alterar o seu valor para false.

– Abrir arquivos direto no browser.

Eu odeio que arquivos pdf sejam abertos direto no browser. E eu não sei porque cargas d´água o firefox vem com essa chatice. Isso se torna chato porque o firefox não espera que o arquivo seja baixado completamente para abrí-lo, assim que qualquer pedaço do arquivo está disponível, o browser já vai mostrando, o que sempre resulta em travamento e lentidão na resposta do browser. Prefiro mil vezes que o arquivo seja baixado integralmente (demore o quanto demorar) e aí sim visualizá-lo no programa adequado.

Pra desabilitar, basta ir em Tools -> Options -> Applications, buscar por pdf e escolher a opção Always Ask. Mas isso não é suficiente. É necessário desinstalar o plugin que possibilita que o firefox leia os arquivos pdf, isso pode ser feito em Tools -> Add-ons.

Eu também me irrito com músicas e vídeos sendo abertos direto pelo browser.

– Salvar os downloads na pasta Downloads.

Mano, EU decido onde eu salvo os meus arquivos, certo? Eu tenho toda uma organização pros meus arquivos. As músicas ficam na pasta musicas (aliás, pra qualquer pasta, todas as letras em caixa baixa, sem espaços e acentos. Grato), os programas ficam em downloads, os vídeos ficam em videos e assim por diante. Não quero que tudo seja colocado numa pasta chamada Downloads e depois organizar. Quero organizar no momento em que eu salvo no computador.

Pra desabilitar, basta ir em Tools -> Options -> General, seção Downloads.

É isso.

Aliás, você já reparou que o firefox tem os botões de recarregar e parar e que essas operações são mutuamente exclusivas?

Muddy Waters

Já conhece Muddy Waters? Até ontem, eu não conhcia… mas não me julgue, estou corrigindo essa falha de caráter agora.

Vá lá conhecer. Agradeça-me depois.

Vai ser besta assim lá em Manaus…

Olha, como nós amazonenses somos um povo besta, viu?

É cada deslumbre imbecil que pqp…

O exemplo perfeito: http://blogs.d24am.com/blogdoprata/2010/08/11/sensacional/

Nos comentários, quando dito que a bossa a seria do tipo super cafona, o colunista sobe nas tamancas e se defende dizendo que é assim, na garrafinha e com canudinho, que os jet setters tomam água nos lugares chiques. E se é assim que a galera descolada toma água nas quebradas da costa francesa, meu amigo, então é isso aí mesmo… porque pra mim quem toma água na garrafinha e de canudinho, queima. oops…

Aí porra, o maluco viaja e traz água só pra fazer uma bossa do tipo chique? Que onda…

Aliás, esse negócio de se deslumbrar com água é maior babaquice. Outro dia aí, comprei água Perrier só pelo lulz – mas não bebi com canudinho porque eu não sou descolado – e descobri que, veja só!, tem gosto de água com gás…

Que coisa…

Momentos

Às vezes a gente reclama, mas a vida e boa.
Apesar de eu estar sem computador e sem “poder” viajar, eu não posso reclamar.Acabei de me tocar disso quando me dei conta que hoje eu almocei um arremedo de ribs on the barbie (que eu mesmo fiz! :D) e nesse momento estou tomando uma weißbier legítima no copo em que deve ser tomada. Tudo isso com um clima agradabílissimo, menos de 20 graus, ….
É besteira? Sem dúvida. Mas são esses pequenos momentos indizíveis…
É claro que ela poderia estar aqui… mas…

%d blogueiros gostam disto: