Guia não veja manaus

Update: a ideia já está implementada e funcionando aqui http://www.comerebebermanaus.com/

Esses dias saiu o guia comer e beber da veja manaus.
Já acompanho faz uns anos e sempre é a mesma coisa. Raríssimas são as variações.

Tem jurado ali que só pode ter achado a boca no lixo. Teve voto de melhor chopp no Mercato. O mercato tem chopp kaiser!
Ai eu fiquei pensando, será que todos os jurados de uma categoria vão em todos os lugares? A única explicação pro sujeito escolher o chopp do mercato ao inves de um lugar que tenha chopp Brahma, por exemplo, é ele ter ido somente no mercato. Não há outra justificativa.

Você pode até alegar que é questão de gosto. Mas não é o caso de ser gosto pessoal. É o caso de falta de gosto mesmo. Suspeito que o sujeito sequer tenha papilas gustativas pra fazer uma escolha daquelas.

Lendo a lista, a hipótese de lobby fica muito patente por dois motivos. O primeiro é que tem bar/restaurante bem questionáveis que não saem da lista. E o segundo é que já tem lugar que acabou de abrir e já figura na lista como tradicional. Mas espero que seja apenas maldade minha e competência deles.

Como diabos o bar do armando (imundo, sem estrutura, onde se senta dentro do esgoto) pode sequer ser indicado a alguma coisa que não seja pejorativa?

E como pode a peixaria do Jokka Loureiro esta na categoria bom e barato? Sem dúvida nenhuma, o peixe lá é ótimo, mas não é barato de jeito nenhum. Fui lá com mais dois colegas de trabalho e a conta ficou em R$ 100. Ao passo que em outras peixarias, o mesmo consumo fica na casa dos R$ 50.

Claro que não quero que a veja pare de fazer o guia (nem que eu quisesse eles iriam parar, diz ai). Pelo contrário, acho que a iniciativa é muito boa. Só acho que eles deveriam fazer alguns ajustes e filtros. Poderiam, por exemplo, escolher lugares onde se vai, de fato, para comer e não pra ser visto. O problema é que um filtro desse derrubaria 80% da lista…

Enquanto lia o guia, uma antiga ideia me veio a tona novamente, retomar o blog Coma Bem Manaus, mas de maneira diferente.

Criar uma espécie de “guia não veja manaus”, com lugares mais simples e baratos (gastar R$ 100 pra comer 4 costelinhas de tambaqui com farofa soa pornográfico).
A lista iria desde lugares pé sujo (porém limpos) até lugares mais arrumados – ou, vá lá, chiques – mas mantendo sempre o foco em ser simples. O problema de uma empreitada dessas são os custos que sairiam do meu próprio bolso, já que nenhum empresário iria pagar pra alguém, eventualmente, falar mal do produto dele.

Como você já percebeu, tô dando a idéia aqui.
Se você tem interesse em fazer um negócio desses, entre em contato comigo (sério).
arlen.nascimento at gmail com

Anúncios

Sobre Arlen Nascimento
26 anos, Manaus.

2 Responses to Guia não veja manaus

  1. Pingback: A ideia implementada « Pai d’égua

  2. Marcos says:

    Triste é a pocilga do Village ser sempre considerado o top dos tops. Os pratos de lá são sempre algum peixe + queijo brie.

    Eles devem comprar todo ano um lote de 20 toneladas de queijo brie e precisam usar aquilo de qualquer jeito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: