O caminho mais dificil pra ser pobre?

Uma vez eu tava no 616 (Campus-Centro) voltando pra casa e no banco de trás, tinham dois caras conversando.
Um deles falava que acabara de voltar do doutorado na Escócia e que tinha sido muito bom e etc. Papo, vai, papo, vem, o
outro pergunta onde que o doutor estava morando. O doutor responde que tava morando em uma pensão no centro.

Lembrei disso vindo pra casa, do nada. Hoje, a minha vontade de fazer doutorado tende a zero. É claro que existe a
vaidade com a possibilidade de ser doutor (com doutorado, viu adevogados?) antes dos 30 anos, mas e aí?

O mercado, no Brasil, pra minha área (ciência da computação), é, na prática, indiferente pra quem tem doutorado, salvas
raríssimas exceçÕes. MBA dá muito mais dinheiro que doutorado, a propósito. Daí, a única opção, é seguir carreira acadêmica, que é mais uma questão de invocação do que de
vocação.

Voltando ao doutor do ônibus. É pura arrogância, mas, desculpe, eu não quero dedicar 10 anos da minha vida pra terminar
andando de ônibus e morando numa pensão no centro… É claro que isso não faz da pessoa menos doutor. O título é seu com
todo o mérito, mas…

Se eu começasse o doutorado hoje, eu terminaria com 30 anos. Ter 30 anos sem ter estabilidade financeira ou pelo menos
um pé de meia, por pequeno que fosse, é muito pra minha cabeça…

ps: péssimo título do post, mas na hora não consegui pensar em nada melhor.

Pai d’égua agora n’O Avesso

Eu e meu blog agora vamos rumo a fama e ao estrelato. 😛

Novo endereço

http://oavesso.com.br/paidegua/

A convite do Ismael Benigno (é, ele mesmo), o blog vai se mudar pro agreagador de blogs/revista O Avesso e se juntar ao crème de la crème da sociedade baré. hehe

Mais detalhes lá

http://oavesso.com.br/paidegua/

Atualizem seus bookmarks, leitores imaginários

Ave concorrência

A concorrência é a melhor coisa que existe pro consumidor.

Pro comerciante, nem tanto, talvez. Mas pro consumidor, certamente é. O efeito imediato da concorrência é a queda do preço. Se não houver queda do preço, o comerciante vai, no mínimo, tentar fazer valer o preço do produto/serviço dele.

Vamos a um estudo de caso. Antes da volta das lojas Americanas a Manaus, só a Bemol vendia DVDs em Manaus – ok, várias outras lojas vendem, mas nenhuma no nível da Bemol, principalmente em acervo. Com sorte, o dvd mais barato que se encontrava por lá, custava R$ 20. As promoções eram praticamente inexistentes e quando tinham, só tinha bomba.

Aí a Americanas voltou. E voltou com tudo. Lá é possível encontrar uma grande gôndola repleta de dvds que custam R$ 12,99. E dvds muito bons, diga-se. É claro que tem as velharias, mas tem filmes e shows recentes também. Dia desses eu comprei ´O Iluminado´ – uma merda, by the way – por R$ 12,99. Já vi também por R$ 12,99 ´Happy Feet´, ´Scarface´ e muitos outros títulos. Existem várias outras opções por R$ 14,99, R$ 19,99 até por R$ 9,99 tem.

Aí, hoje eu fui na Bemol e o que eu vi? Uma prateleira repleta de dvds com preços de R$ 9,90 até R$ 19,90. Bons dvds, a propósito. Pois é, quem diria, a Bemol vendendo dvd por esse preço…

E já ouvi falar por aí que a próxima a chegar é a Saraiva Mega Store. Aguardemos.

My name is Arlen

Hoje quando fui checar as estatísticas do blog, tinha uma busca bem assim ‘policia arlem manaus’.Égua, que porra é essa?

Depois, li no blog do Holanda que o policial Arlen Sebastião dos Santos de Souza – da polícia militar do Amazonas – foi preso em Natal por ter aplicado uns golpes por lá. Com todo o orgulho de ser amazonense.

É raríssimo  encontrar uma pessoa com o meu nome idêntico ao meu (com n no final), na mesma cidade então…

Eu já tinha visto nomes homônimos mas com a grafia diferente (parônimo?). No orkut eu já encontrei um Arlen Nascimento.

Enfim, meu nome é Arlen, mas é Oliveira do Nascimento.

Nós precisamos de concorrência

A melhor coisa pro mercado e, principalmente, pro consumidor é a concorrência.

Eu arrisco dizer, de forma totalmente empírica, que o Brasil tem as passagens aéreas mais caras do mundo. Ou pelo menos figura no top 5.

Sem levar em consideração os impostos e bla bla bla, a causadora disso é a falta de concorrência. Em âmbito nacional, temos apenas duas empresas. É praticamente um cartel. E como tem muita gente que realmente precisa viajar, o jeito é se submeter.

Aí é que entra a beleza da concorrência. Veja você, até duas semanas atrás, GOL e TAM sempre tinham algumas promoções estampadas no site. Geralmente entre cidades do sul e sudeste e o preço sempre estava entre 200 e 400 reais. Mas eis que chega a Azul, com o trecho São Paulo-Porto Alegre a 99 reais e, magicamente, TAM e GOL passam a estampar promoções na casa dos 100 reais. Olha só que beleza!

Agora é torcer pra Azul chegar logo pra cá e ver se as passagens pro Brasil saem da casa dos 400 reais.

Galiotto não é vinho

Eu entendo de vinhos muito menos do que eu gostaria. Mas uma lição importante que eu aprendi é que Galiotto não é vinho.

Eis a explicação. Se pegarmos uvas e fizermos suco dela (olha o cacófato) e reservarmos em barris, o resultado será vinho. Vinho seco.

O Galiotto é uma aberração chamada vinho suave cujo qual é o resultado da interrupção da fermentação seguido da mistura com açucar. Isso mesmo, Galiotto é vinho com açucar. E por isso ele é extremamente doce.

Sei lá eu por qual razão, o Galiotto é um ‘vinho’ extremamente popular. Talvez por causa do preço, apesar de não ser tão barato assim (em média 10 reais a garrafa). Só que, juntando mais uns 3 reais, é possível comprar o verdadeiro vinho.

O Galiotto é o representante mais chique (mais caro) dessa classe suave, pelo menos que eu saiba.

E era por isso que, antes de eu descobrir isso, eu não conseguia encontrar de jeito nenhum vinhos suaves ‘melhores’ que o Galiotto. Perdia um tempão procurando e nada, só secos. Muito depois eu entendi o porquê.

É claro que no começo, o Galiotto é muito mais ‘fácil’, pois é docinho e tem o álcool na medida. E os secos são muito mais difíceis, porque tem aquele gosto meio estranho. Mas, isso é só no começo.

Pois é, esqueça o Galiotto. Tome suco del valle, é mais gostoso e nutritivo.

Existem vinhos muito bons (leia-se gostosos) por 15, 20 reas. O curioso é que o vinho mais ruim que eu já provei, foi o mais caro que eu comprei, R$ 25 – na minha opinião, claro.

Só pra aproveitar o assunto, eu me decepcionei com o vinho do porto. De tanto ouvir falar, eu sempre achei que era uma coisa fantástica, que iam tocar uns sinos e tal, mas nada…

O que eu comprei era Ferreira alguma coisa e custou 16 dólares no duty free de são paulo, aqui custa 81 reais no DB!!!

Pois é, vinho do porto é doce e mais forte que os outros vinhos (na casa dos 20%). Extremamente doce, chega a ser enjoativo. Mas não é porque misturam com açucar e sim porque interropem a fermentação dele antes de todos os açúcares se transformarem em álcool. Pesquise mais pra entender melhor.

Follow-up 2008

Ano passado, fiz esse post.

Na verdade, eu morro de vergonha desse post e acho totalmente desnecessário.

Mas vou fazer um follow-up mesmo assim. Na verdade II, eu nem sei se esse é o significado de follow-up, mas vamos lá

  • emagrecer: é… não deu. Mantive a regularidade, uns quilinhos a mais, outros a menos.  Só entre os dias 23 e 26 (desse mês), eu engordei 2 quilos. Mas tive progressos, até comecei a correr. Mas parei. Mas vou retomar semana que vem
  • publicar muito: poooorra!! Não tenho do que reclamar! Foram 3 artigos internacionais, 1 nacional e 1 journal internacional. Meta cumprida com louvor
  • falar menos: nem lembrava que eu tinha escrito isso.
  • ser menos irônico: não. Continuo o mesmo escroto de sempre
  • juntar dinheiro: nunca! jamais! Não dá, é impossível
  • viajar pra venezuela: égua, que pensamento pequeno… Mas fiz muito melhor: viajei duas vezes pro exterior!!
    Fui pra onde eu jamais imaginei e pra onde eu sempre quis ir. Marrocos, Alemanha e Estados Unidos!! E nos USA, encontrei a minha paixão: New York! ai… ai… Mas qualquer dia, eu vou pra venezuela. Mais detalhes aqui
  • terminar a dissertação: no way. 50%, sendo otimista…
  • ser menos ranzinza: acho que não. Mesma coisa de sempre
  • ser mais simpático: acho que não, também. Mas eu tenho uma explicação. Toda vez que eu quero ajudar alguém ou que eu sou simpático, eu sempre me dou mal.
  • degustar vinhos: continuo não sabendo nada de vinhos. Mas provei alguns poucos durante o ano. Mas pelo aprendi que Galiotto não é vinho. Atenção: Galiotto não é vinho!!
%d blogueiros gostam disto: