O erro do software livre

Eu sou usuário de linux desde 2003 por uma certa imposição: os laboratórios do departamento só têm linux. No começo é esquisito, apesar de, graficamente, ser parecido com o windows, o linux tem diferenças substanciais. O escalonador é O(1) e isso é fantástico! O bicho não tem um loop!!!

Se eu não tivesse feito ciência da computação, eu, provavelmente, jamais teria entrado em contato com linux. Hoje, eu uso linux porque eu realmente gosto. O windows pra mim não combina com trabalho. Eu não consigo fazer nada que se aproveite no windows. Windows é sinônimo de diversão, jogos e outras coisas.

Com o linux é possível se divertir, no entanto, é uma diversão puritana, por assim dizer. Os jogos pra linux ainda são muito amadores, apesar de que hoje em dia já termos coisas boas até, mas mesmo assim é amador. O linux é lotado de joguinhos tipo puzzle que são muito legais. Eu sou viciado em “cinco ou mais”, por exemplo.

Bash é uma paixão pra mim. Quanto mais eu uso, mais eu me apaixono. O sed é um comando foda.

Mas esse não é exatamente o objetivo do post.

O que eu quero dizer é que o windows (ainda) é indispensável e há de ser por muito tempo. Por mais que o GIMP amadureça espantosamente a cada versão, ainda falta muito pra competir de verdade com o photoshop, por exemplo. E exemplos não faltam: corel draw, auto cad e etc. A recíproca também é verdadeira: tem muito software livre que bota qualquer software pago no chinelo. Eu tô pra ver um player de música melhor que o Amarok e um player de vídeo melhor que o vlc. O amarok infelizmente não tem pra windows. O vlc nunca me deixou na mão, sempre abriu todos os formatos imagináveis.

O que acontece é que o tal “movimento de SL” é composto de pessoas muito chatas. Muito chatas! De xiitas que ficam demonizando a microsoft e os softwares pagos. Ficam com frases do tipo: “eu sou livre, seja livre vc tb”, “consegui usar o windows por 3 minutos sem travar rsrsrsrs” e essas coisas.

O que eu vejo é que essas pessoas só tem experiência acadêmica. No mercado é diferente, os caras estão cagando se um software é pago ou é de graça e de código aberto: eles só querem que funcione e ponto. Eles não ligam se uma licença do windows custa 500 reais: eles compram licenças pra 1000 máquinas de uma vez só!!!. E eles pagam por um único motivo: querendo vc, ou não, o windows, apesar de todos os percalços, é uma solução “mais pronta” que o linux. É só instalar o sistema, um anti-virus, o messenger, o office e pronto! O que mais uma secretária ou vendedor precisa pra trabalhar? Eu falo isso porque eu vi de perto e ficava estarrecido vendo uma empresa adquirir centenas de licenças de anti-vírus…

Apesar de o ubuntu ser um sistema fantástico, ainda tem coisa que um usuário comum não consegue fazer. E aí é que está o ponto: o usuário comum não quer fazer. existem exceções, é claro.

O que eu quero dizer é que não adianta forçar a migração pro linux. Não adianta vender computador com linux nas casas bahia: quem comprar, vai formatar e colocar o windows copirated. Esses militantes xiitas do SL acabam atrapalhando em vez de ajudar. O richard stallman é um que só atrapalha. Quem dá bola pra ele? Um cara que cobra pra tirar uma foto?

ps: O post acabou ficando muito extenso e nebuloso e eu não me fiz entender muito bem.

Anúncios

Sobre Arlen Nascimento
26 anos, Manaus.

21 Responses to O erro do software livre

  1. Julio Vaz says:

    Cara, tu mandou muito bem nessa, não falou mau do Windows e seus usuarios e não falou mau do Linux que vc tanto gosta e te atende perfeitamente, OTEMO isso.

    Concordo plenemente, um medico, dentista, secretaria bilingue, CIO, Juiz, ou qualquer usuario, claro que tem suas Exceções como nós que gostamos de conhecer a fundo o funcionamento de um sistema e tiramos ao maximo o que ele pode nos proporcionar, estes usuarios não querem saber de Linux ou Windows, querem aquilo que os atenda, só isso..

    Quando eu brigo com algumas pessoas desta comunidade que falam que os usuarios Windows não são “BURROS” e sim a liberdade de escolha esta dentro da cabeça de cada um de nós muitos não entendem, acham que a MS obriga os usuarios a usarem seus produtos.

    Ai que esta a diferença, ninguem vai até uma loja no caso “Kalunga” e desenbolsa R$400,00 para compra de um sistema operacional “Windows Vista”, se ele optou pela compra foi pq o sistema anterior atendeu ele e ele por livre e espontanea vontade paga, ao lado do Windows Vista que esta na loja Kalunga ou outra as vezes tem um Linux, ou mais simples, tem uma banca de jornal com uma revista acompanhado de um CD Linux.

    Falta de opção ele tem, burrice não é, o que falta é Marketing por parte do Linux só isso, ele tem tudo.

    Nunca vi um produto ganhar mercado falando mau do seu concorrente, o que a comunidade OS esquece é que não basta ser “Livre, FREE, Seguro, Estavel”, tem que ganhar a confiança e a conciencia dos usuarios.

    Se alguem aqui vier falando a famosa frase, nem tudo que domina é prova de ser bom, se não todos teriam ferrari, errado, ferrari esta fora do alcance de muitos.

    Vejam o caso da Apple, sistema totalmente estavel, seguro, hardware fechado, sistema aberto e tem seus adoradores e nunca passou dos 10% de mercado, e mesmo assim a comunidade MAC fica metendo o pau na MS para tentar conquistar seus usuarios, simples, eles nçao usam Windows.

    Mas valeu, parabens por sua iniciativa.

  2. Lucas Timm says:

    Aleluia o Julio Vaz Sanches falou alguma coisa que presta. Há anos não via isso!

    O artigo realmente está excelente, parabéns. Uso Linux nas mesmas circunstâncias que você (exceto que odeio programar) e ODEIO essas pessoas chatas. O pior é que acaba pegando mal pra nós, que trabalhamos em cima do Linux e implementamos o sistema pra funcionar.

    Por isso, também não aprovo o crescimento desordenado da comunidade “software livre” (odeio esse termo, também, liberdade se aplica a pessoas, não softwares), que usa Ubuntu e espalha pra meio mundo e endemoniza a Microsoft.

    Contribuições deles? Nenhuma. E tá aí o #ubuntu-br, da FreeNode, e a comunidade Linux Brasil, no Orkut, que não me deixam mentir.

  3. memphyx says:

    WoW … encontro de gerações aqui!?

    Eu já fui um desses Xiitas em que se falassem mal do software livre, era como falar mau de algum parente próximo.

    Aprendi a lição na marra quando adentrei no mercado profissional de TI.
    Alição foi simples:
    – Os/As empresários/empresas contratam um profissional da área de Tecnologia, a fim do mesmo deixar os sistemas de sua empresa funcional, e se não funcionam, este, terá que trazer soluções para problemas para honrar seus salários, não importa se é Free ou Pago, eles/elas querem tudo funcionando como uma engrenagem.

    Resumindo:
    – O patrão não quer saber o que você usou pra deixar o sistema rodando como um relóginho, ele quer saber se funciona e pronto!

    Ouve muitos casos em que a melhor opção foi Linux no Servidor e Windows nos Desktops e não uma rede toda em Linux como eu pretendia em meu aprendizado! Em outros, Windows e Linux em Servidores e Desktops, e em casos que só o Windows atendia o que a empresa demandava.
    Hoje, apesar de gostar muito de Linux, sei que grande e maior parte do “Market Share” é Windows, e que muito das soluções expecíficas para diversas áreas empresáriais já estão prontas pra plataforma Microsoft, e que outras estão se amadurecendo e surgindo para Linux agora. É uma questão de bom senso e não de ideologias desnecessárias em ambiente profissional e comercial.

    Hoje, vejo os “XIITAS” como um empecilho para o crescimento do Mercado de Linux e Open-Source em geral, e enquanto a “comunidade” não mudar em alguns aspectos, as coisas vão caminhar muito devagar para o Linux.

  4. Dourado says:

    Parabéns,

    eu gosto do SO Linux mas não participei dos tempos de desenvolvimento

    vlw

  5. liverig says:

    Cara, concordo com você.

    “não adianta forçar a migração pro linux. Não adianta vender computador com linux nas casas bahia: quem comprar, vai formatar e colocar o windows copirated.”

    Antes de instalarem o Linux, eles deveriam dar um curso gratuito de Linux (pelo menos o básico), por que quem não sabe mecher fica nervoso com o Linux e acaba indo pro Windows mesmo.

    Falando nisso, dá uma passada lá no meu blog:

    http://liverig.wordpress.com Blog do Dissidente

    Abraços, Liverig 😀

  6. eliasgranja says:

    Falo tudo…Alias a faculdade de Ciência da computação é muito díficil? Eu Tava pensando em fazer…
    http://casadastiras.googlepages.com/index.html
    http://meusuperblog.wordpress.com

  7. Johann says:

    Cara, só vim até o seu blog para te dar os parabéns por um texto tão claro e objetivo.

    Muito bom mesmo! Achei o seu post através de um link que vc recebeu no Meiobit. E quis vir até aqui te dar parabéns porque eu acho que pessoas que tem um bom raciocínio (e hoje em dia é raro encontrá-las) merecem, no mínimo, um reconhecimento.

    E nada mais justo do que eu vir até aqui, gastar alguns minutos do meu dia para te prestigiar.

    Parabéns!

  8. Rôney Eduardo says:

    Parabéns pelo seu texto. Realmente, a comunidade de software livre
    brasileira é chatíssima. Sou usuário de software livre, principalmente
    em âmbito corporativo e sei que há situação em que ele é imbatível.

    Passei 4 anos utilizando Linux como desktop pessoal. Nesse tempo todo,
    sempre fiz o que eu queria (a única coisa que jogava, e jogo até hoje,
    é counter-strtike, e isso sempre funcionou que era uma beleza). É claro
    que algumas coisas tinha que passar por uma boa dose de dificuldade pra
    fazer funcionar…baixa versão snapshot… aplica patch… compila…etc.

    Há 2 anos não uso mais Linux em meu computador pessoal e isso foi
    por opção. Uso o Windows de forma bem consciente, tô há um tempão
    com a minha máquina sem travar, sem pegar vírus…Enfim…

    Eu sou fã da filosofia software livre, mas sou usuário daquilo que realmente
    me interessa.

    Vejo que a comunidade brasileira é mais de falar do que de fazer…são poucas
    as pessoas nesse meio que dão o exemplo de meter a mão na massa e
    contribuir no desenvolvimento de algum software, ou então de manter / coordenar um projeto. E quem faz isso, geralmente, não é “dado ao fundamentalismo”…

  9. Everson Vargas da Luz says:

    Boa tarde, concordo com você, tudo é tecnologia, um bom profissional de tecnologia so se apega a CONCEITOS pois o software é o mesmo, dar linhas de comando e excutar é a última parte de qualquer projeto. Os “profissionais” de R$ 25 são exatamente o que queimam o software com a frase, “Pode deixar comigo, eu tenho um software que o Sr vai ecônomizar que é uma beleza”, e some, não da mais nenhum tipo de suporte, imagina em uma corporação transformar para OpenOffice metade de uma empresa… Em 10 minutos ninguém vai mais abrir os documentos novos do OpenOffice porque a criatura não fez um projeto para calcular quais eram os requisitos pra essa transformação, e nem se ligou em mudar para o OpenOffice salvar em .doc.
    A área de TI e em destaque a comunidade OpenSource PRECISAM pra ontem algo muito importante ORGANIZAÇÃO.
    Atualmente entrei em uma corporação com a missão de organizar toda área de tecnologia, pois mão de obra não falta sendo a mais requisitada da região sul, é impressionamte como o PMI esta entrando no mundo de TI pra colocar nos eixos essa bangunça que esta agora
    Enfim, ótima iniciativa, temos que acordar, Linux é ótimo, mas temos que projetar soluções em TI não em software

  10. Cris says:

    Eu gosto de Linux e Windows. Mas entendo mais de Windows.
    Ambos tem suas vantagens e desvantagens, isso é fato.
    O melhor software é o que atende suas necessidades.
    Se Linux é só “pra quem manja de PC”, quem trampa com isso, como eu, tem que agradecer todos os dias.
    Imagina se o usuário comum vira um expert? Vamos viver de…?
    Em algum site que não me lembro, alguém da comunidade SL disse: Pra usar Ubuntu tem toda uma ideologia.

    Porra! Ideologia pra usar um software é foda

  11. Thiago says:

    ps: O post acabou ficando muito extenso e nebuloso e eu não me fiz entender muito bem.

    foi a única parte do post com a qual não concordei.

    parabéns.

  12. Julio Vaz says:

    LUCAS TIMM

    Aleluia o Julio Vaz Sanches falou alguma coisa que presta. Há anos não via isso!

    Bom Lucas, se é a primeira vez que eu falo algo que presta, vc esta com sorte, pois até agora eu nunca vi, escutei ou li algo que preste de vc, bom ja era de se esperar, moleque e xiita doente, só pode se achar, achei estranho vc parabenizar o comentario do colega, tu só sabe o comand XIITA.

    Eu que me espanto te ver aqui em um debate de nivel, coisa que é não da sua conduta.

  13. Tarcísio says:

    Ficou muito bom, você foi muito feliz em suas colocações. Não podemos negar a força que o Windows tem, e particularmente o considero um sistema de boa qualidade, devemos sempre ver o lado bom das coisas e tentar absolvê-las. Temo que tentar conviver em harmonia.

  14. Lucas Timm says:

    Ficou bem claro quem é o xiita. Ah Julio, não sou eu. 🙂

  15. Julio Vaz says:

    /\

    Lucas, tu passou de xiita, foi promovido, de xiita para moleque besta, é isso que vc sempre foi, uma coisa é que isso estava escondido com tudo que vc faz de errado, sempre esconde, por este e outros moitivos que não sai da vidinha que leva.

  16. Julio Vaz says:

    Lucas, na boa cara, larga mao de ser moleque e aporenda mais com este artigo legal que o amigo Jef postou, humildade faz as pessoas crescerem sabia.

  17. Arlen Nascimento says:

    Pessoal, sem ofensas pessoais, ok?

  18. Também achei no meiobit!
    Muito bom o texto.

    Cara, tu iria ODIAR o mestre xiita que “palestrou” na campusparty aqui em sp.
    O cara parecia um pastor evangélico em busca de mais ovelhas pro rebanho, repetindo incansavelmente cliches como “seja livre” mais de 999 vezes.
    E ah, em cima de imagens Matrix no telo, pra deixar a coisa toda ainda mais óbvia e receptiva pra molecada.

    Patético. Senti até vergonha alheia hahaha

    []’s

  19. Julio Vaz says:

    /\
    ||

    Cara tu não faz ideia como tenho nojo disso, ja participei de cada palestra falando sobre Software Livre que os caras até babavam quando falavam de outro sistema, achavam que a salvação seria a liberdade do pinguim e que ele seria o dominio supreme.

    Por este e outros motivos que falo, uso aquilo que me atende, não aquilo que fede a liberdade, a liberdade quem faz sou eu e não esta galera que acha que vai dominar o mundo e despresar usuarios com menos conhecimento

    Tipoco o nosso amigo Lucas Timm

  20. Pingback: Não é software livre? Sou contra! « Pai d’égua

  21. Pingback: Pai D’Égua » Não é software livre? Sou contra!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: